Chile inaugura maior usina fotovoltaica da América Latina

Em uma iniciativa inédita de parceria público privada, o Chile desponta como pioneira na América Latina na transformação de regiões inóspitas em centros de geração de energia para o país. Isso demonstra o potencial das fontes renováveis em criar oportunidades e levar o desenvolvimento sustentável para áreas até então vistas como inviáveis para qualquer atividade econômica. Neste dia 05/06/2014 entrou em operação a maior usina fotovoltaica da América Latina, no deserto do Atacama.

A usina fotovoltaica, denominada Amanhecer, com uma capacidade instalada de 100 MW, tem capacidade para geração total de 270 GWh de eletricidade por ano, o suficiente para atender a demanda de 125 mil residências.

A planta possui 370 mil módulos fotovoltaicos em uma área de 280 hectares, localizada a 37 quilômetros do distrito de Coiapó.

“A energia solar é ideal para diversificar a matriz chilena, reduzindo custos e contribuindo para atender a demanda por uma fonte limpa e sustentável de eletricidade”, declarou José Pérez, CEO da SunEdison para a Europa, África e América Latina, empresa responsável pela construção da usina Amanhecer.

Foto: Jose Manuel de la Maza/ Presidencia do Chile - Deserto do Atacama- Chile, 05/06/2014- A pressidenta do Chile, Michelle Bachelet, participa da cerimônia de inauguração da maior usina fotovoltaica da América Latina

E a iniciativa não é isolada. O Atacama também irá receber a maior planta de geração de energia por concentração solar do continente. Este outro projeto terá capacidade para gerar cerca de 110 MW e receberá 10,6 mil espelhos instalados em uma área circular de aproximadamente 3,5 quilômetros. Assim irá refletir a luz solar para o topo da torre de concentração solar, com 243 metros de altura.

Esclarecendo que nesta tecnologia, denominada de termosolar, os raios solares são direcionados e concentrados de forma à transformar água, ou outro líquido, em vapor. Na sequência este vapor impulsiona turbinas que irão gerar de eletricidade.

A espanhola Abengoa, é a empresa responsável por este empreendimento que deve começar a ser construído ainda este ano, com custo aproximado de US$ 1 bilhão. Com capacidade de 17,5 horas de armazenamento térmíco, permitirá o fornecimento de eletricidade 24 horas por dia.

Nossa opinião

Iniciativas como essa deixam claro o potencial existente em grandes áreas do semiárido brasileiro para geração desse tipo de energia renovável. Áreas essas que hoje estão abandonadas, são improdutivas e são internacionalmente conhecidas por abrigar a maior concentração de pessoas em situação de miséria de nosso país.

O investimento nessas regiões, que possuem os mais altos índices de radiação solar do Brasil, poderia não só contribuir para a redução das deficiências em nossa matriz energética, mas poderiam também transformar a realidade de toda a região. Isso sem contar as oportunidades de negócio e os empregos diretos e indiretos que seriam gerados em várias partes do país, para atender a demanda que seria gerada por estes empreendimentos.

Esperamos investimentos em infraestrutura, financiamentos de longo prazo e incentivos fiscais mais agressivos, para que iniciativas como essas possam ser viabilizadas em nosso país.

Eduardo Nicol - CEO - RENEW Energias Renováveis

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*